domingo, 25 de outubro de 2009

Pó e Sombras



Somos o pó das coisas.
As suas sombras ao luar e ao sol.
Carregamos a essência do mundo aos ombros, as estrelas cadentes das noites frias. Somos o vago e o inconceptível. A verdade escondida num olhar esquivo.
Os dias são eternos carnavais em que carregamos as máscaras com desfaçatez.
Imperturbáveis à realidade exterior, povoamos o nosso íntimo de guerras e pombas brancas. Colonizamos territórios desconhecidos que, ao vivermos, vamos descobrindo e nos abrem novos horizontes.
Somos imperialistas do nosso mundo. Ditadores ferozes, aversos à revolução, alérgicos aos cravos que, mais cedo ou mais tarde acabam por chegar. Obrigam-se a chegar, porque todos mudamos, por mais que temamos a mudança.
Somos amantes e cruéis. O verso e o reverso.
Acordamos um dia e nada é como era. Desejamos voltar atrás e a vida já passou. A água que procuramos já se diluiu no mar que não queremos.
Acordamos outro dia e espelhamo-nos no futuro. Gostamos do que vemos e corremos para o ter, esquecendo que é na estação que se espera o comboio e não no meio da linha.

No céu, a noite está fria, a terra quente, e nós, nós somos apenas pó e sombras.

13 comentários:

Kikas disse...

juro que queria comentar algo de jeito mas está bom demais para mim! beijinho ("primeiro a tocar aqui")

MagicWoman disse...

Felicidades para esta casinha nova :-)

bjinho

Gingerbread Girl disse...

Muito muito bonito... mas deixou-me um pouco deprimida. Não no mau sentido... sei que parece que não há um bom sentido, mas olha que até há. ;)



*

DoceSussurro disse...

Olá
Lindo post :)
Felicidades, boas escritas e muitas visitas é o que te desejo!

Beijinho*

Ana disse...

Por mais que a mudança nos perturbe e nos assuste, ela é inevitável. No entanto, só chega quando é hora. Não podemos fugir dela, mas também não adianta procura-la com pressa.

Beijinhos!

Lia disse...

olá...
bonito texto!

Muitas felicidades para o teu cantinho!

Jocas gordas

Cereja disse...

se ainda não o somos (pó) o dia nele nos vamos tornar.

Storyteller disse...

Bem-vindo!
:)

Anna disse...

Descreves o ciclo irreversível do nosso percurso por este mundo... Todas as dualidades que temos de enfrentar... a rapidez e irreversibilidade com que tudo acontece...

É nossa ambição sermos donos e senhores do nosso próprio íntimo, sim... mas a verdade é que não raras vezes também ele recebe jogadores que têm parte activa e acabam por modelar aquilo que somos... mesmo aquele cantinho escondido e sercreto que julgamos só nosso...

Óptimas linhas... espero ler muitas mais!
*

Smurf disse...

espectacular e real este texto. reflecte o viver de muitos de nos. Obrigada e boa sorte para esta nova casa. Agora é continuar a encher as paredes de belos quadros! :)

Hyndra disse...

Pois. No fundo somos tudo, mas nao somos nada!

Anuska disse...

Ai estas palavras que nos ocupam a mente... melancólicas, sinto-me assim, em sintonia contigo

Emma'' disse...

Gostei... Escreves mesmo muito bem :)